O QUE FAZEMOS

A Estratégia do COMSA

O Instituto Nacional de Estatística (INE) trabalha com o Instituto Nacional de Saúde (INS) em Moçambique e com o JHU para criação de uma amostra nacional representativa de conglomerados para a vigilância contínua de gravidezes, resultados de gravidezes e mortes. A amostra é estratificada por província para permitir a produção de estimativas de mortalidade e causas de morte a nível provincial, e sua comparação entre as províncias. Todas as mortes, incluindo nados mortos, são acompanhadas por uma autópsia verbal e social para determinar a causa da morte e seus determinantes.

NOSSAS REALIZAÇÕES

Desde 2017, o COMSA treinou mais de 700 Assistentes de Vigilância Comunitária (CSAs) que reportam as gravidezes, resultados de gravidez e mortes, e 50 inquiridoras de Autópsia Verbal e Social (VASA). O COMSA abrange aproximadamente 170.000 agreagados familiares e 800.000 pessoas em todas as 11 províncias de Moçambique.

Assistentes de Vigilância Comunitária (CSAs) activos treinados

Mil pessoas atingidas

Inquiridoras de Autópsia Verbal e Social activas treinadas

DESENHO DO COMSA

O projecto COMSA abrange 700 conglomerados espalhados pelo país, cada um constituido por aproximadamente 300 agregados familiares. Assistentes de Vigilância Comunitária (CSAs) são recrutados, treinados e alocados em cada conglomerado para reportar todos os eventos de forma contínua. Em seguida, as inquiridoras de VASA fazem as autópsias verbais e sociais de cada óbito.

IMPLEMENTAÇÃO

Abordagem por fases

O COMSA utiliza uma abordagem por fases para implementar as actividades em Moçambique. Na fase I, iniciou-se a recolha de dados em 5 províncias em Março de 2018 e na fase II, a recolha de dados foi extendida para as restantes 6 províncias em Outubro de 2018.

Clique nas fases abaixo:

FASE I
Cabo Delgado, Nampula, Sofala, Tete, Zambézia

FASE II
Gaza, Manica, Niassa, Inhambane, Província de Maputo, Cidade de Maputo

“Os dados colhidos e analisados ​​pelo COMSA são essenciais para melhorar a vida e a saúde do povo moçambicano.”

Fontes de dados locais com alcance global

Os dados são registados pelos CSAs e pelas inquiridoras VASAs. Os CSAs são membros da comunidade que reportam eventos vitais que ocorrem na comunidade como gravidezes, resultado de gravidezes e óbitos. Cada conglomerado do COMSA tem o seu respectivo CSA que reporta os eventos através de um telefone. Os CSAs também ajudarão os membros das suas comunidades a registar os nascimentos e as mortes nos postos de registo civil locais. Quando ocorrem as mortes, as inquiridoras VASAs procuram a famíilia do falecido para agendar uma autópsia verbal e social, o que permite determinar as causas de morte e seus determinantes.

O COMSA também colabora com o CHAMPS, responsável pela realização das amostras minimamente invasivas (MITS) em mortes seleccionadas de crianças abaixo de cinco anos que ocorrem em Unidades Sanitárias da cidade de Quelimane, na Província da Zambézia.

Os dados e as evidências gerados pelo COMSA auxiliarão outros sistemas de vigilância de mortalidade na região africana e a nivel global.

O que os dados significam para o futuro de Moçambique

Anualmente, os dados do COMSA serão usados ​​para acompanhar e comparar as taxas de natalidade e mortalidade à nível nacional e provincial. As taxas anuais recentes de mortalidade neonatal, pós-neonatal, infantil e de menores de 5 anos serão registradas para permitir uma avaliação de progresso em relação ao Obectivos de Desenvolvimento Sustentável 3.2 . Os dados das autópsias verbais e do MITS serão usados ​​para gerar a causa de morte e taxas no nível nacional e subnacional. A partir de uma ferramenta estatística permitirá ao país de forma independente analisar, obter e interpretar os resultados.

No geral, os dados do COMSA serão usados para informar o Governo de Moçambique, os decisores políticos e outras partes interessadas sobre a magnitude e as causas de mortes em Moçambique. Os dados colhidos e analisados pelo COMSA são essenciais para melhorar a vida e a saúde do povo moçambicano.

Johns Hopkins Bloomberg School

of Public Health (JHSPH)

615 N. Wolfe Street, Baltimore, MD 21205

United States

Instituto Nacional de Saúde (INS)

Vila De Marracuene, Estrada Nacional N°1,

Parcela N°3943,

Província De Maputo – Moçambique

Instituto Nacional de Estatística (INE)

Av. 24 De Julho 1989 Caixa Postal 493,

Cidade De Maputo – Moçambique